Mas que blog?

100% das pessoas que escrevem neste blog têm problemas psicologicos graves, e essas pessoas são estudantes de medicina (é triste, não é?) Tenham pena de nós e não nos processem por abusarmos da sorte.. Obrigado

sexta-feira, julho 29, 2005

Boas Novas

É com um grande prazer que anuncio mais um colaborador neste blog: o Citocromo....
A seu tempo ele se dará a conhecer, e a ele damos as boas vindas!

Naaa...

Chove em Agosto, o schumacher já não ganha grandes prémios, um governo de esquerda tem politicas de direita, o michael jackson afinal não é pedófilo, avistam-se OVNIS nos céus portugueses, o país está em crise, o vaivém discovery está em risco de se despenhar na descida, lá em cima está o tiroliroliro e o nosso blog vai de férias por 15 singelos dias..

A quem acha que são só más noticias pedimos paciência.. 15 dias passam depressa. :D


Boas férias


A gerência

quinta-feira, julho 28, 2005

Memórias sem nexo (II)

Eu quando era puto era tão egocêntrico, tão egocêntrico que a primeira palavra que disse foi "Eu"




P.S.- Aproveito para agradecer ás duas mil e cem pessoas (e reparem que estou tão agradecido que até escrevi 2100 por extenso) que vieram ao nosso blog e que nos fazem pensar que há muita gente neste pais fora (e secalhar noutros planetas, vá lá) que ocupam muito mal a largura de banda nacional..


Bem hajam

:D

domingo, julho 17, 2005

Se tens um blog e queres ajudar a ciência...

... faz como eu q carrega na imagem abaixo:

Take the MIT Weblog Survey

Um pouco de português

A palavra DUH! Uma palavra que vem tomando conta do dia-a-dia dos portugueses!

A origem desta palavra permanece desconhecida para os investigadores, embora teorias e estudos tenham vindo a sugerir origens de uma versão dismorfa da palavra “The” do inglês actual. Embora “duh” tenha um significado muito diferente, manuscritos encontrados têm vindo cada vez mais a sustentar esta teoria.

Outros estudos apontam que o uso exagerado por parte de uma figura muito importante do século XX de uma palavra semelhante (“dooh”) esteja na base da expressão actual. Fala-se cada vez mais que esta figura possa ser Homer Simpson que a utilizava como interjeição representando uma queixa/grito de estupidez.

Um estudo publicado na revista “Scientific American” aponta que quase 70% dos inqueridos refiram o uso desta expressão mesmo não sabendo a sua origem.

Estima-se que a prevalência desta expressão em Portugal esteja cerca dos 20-30%, e que a incidência anual esteja a aumentar.

Embora o desconhecimento por parte de dos utilizadores da origem da expressão ronde os 90%, o facto de ser socialmente aceite e de não implicar qualquer tipo de imoralidade explica a maior parte dos casos estudados em que a utilização é frequente.

Cientistas internacionais tentam classificar os diferentes tipos de uso da expressão “Duh!”, embora ainda não se tenha ainda chegado a qualquer sintonia.

Recentes publicações da WHO (World Health Organization – Organização Mundial de Saúde) explicam a expressão “duh” da seguinte maneira:

“Palavra de etiologia desconhecida e de significado, desconhecido sem qualquer alteração genética de base comprovada.

Apresenta uma evolução benigna e encontra-se mais frequentemente em indivíduos de qualquer raça, de um grupo etário mais baixo (10-30 anos) e que apreciam o uso de expressões estúpidas. Encontra-se frequentemente associada ao uso de outras expressões igualmente estúpidas como “dass”, “com a breca”, "fónix" e "tipo" e à utilização de um tipo de escrita recentemente descoberta caracterizada pelo ‘UsO aLtErNaDo De LeTrAs MaIúScUlAs E mInÚsCuLaS’ embora a relação entre estas variáveis ainda não se encontre comprovada.

O prognóstico é considerado reservado uma vez que o uso frequente desta expressão pode levar ao progressivo atrofio encefálico do indivíduo e de todos aqueles que o rodeiam. É aconselhado a não utilização desta expressão uma vez que pode levar ao afastamento social do individuo e à sua marginalização, sendo importante que a sua utilização pode ter efeitos adversos em terceiros tais como náuseas, vómitos e incontinência dos esfíncteres”



Para aqueles interessados em saber mais sobre o "Duh", deixem-se disso, não vão por aí

quinta-feira, julho 14, 2005

Olhem para ali ---->

Como devem ter reparado, adicionei mais uns links ao blog e como a lista tá a começar a engrossar, aproveitei pra os odenar por ordem alfabética (o criterio usado foi o link para os blogs e não a descrição..).

Vão dando lá um salto pq se n fossem bons não estavam aqui! (Ou então estavam na mesma.. O que não quer dizer que não mereçam pelo menos uma vista de olhos!! (vista de olhos é mais uma expressão popular que não faz sentido nenhum.. ;D))

terça-feira, julho 12, 2005

Dica de Sobrevivência (II)

Depois da explicação pormenorizada em como dar nós de gravata, eis que partilho convosco outra pérola da sobrevivência sem ajuda feminina: Como interpretar os simbolos de lavagem da roupa (vulgo como lavar roupa sem a estragar).

Dica adicional: Antes de lavar qualquer peça de roupa, mergulha-la primeiro em água morna para se certificar que esta não tinge a restante roupa!! (Obrigado lih!! :D)


E a partir daki é sempre a centrifugar..

Genética prática

Numa sociedade cada vez mais de consumo, e onde todo o cuidado é pouco, acho que em vez de os cientistas perderem tempo a tentar criar milho geneticamente modificado e mais resistente que o milho normal (o que dá pipocas muito mais resistentes, que ninguém come pq elas resistem!) deviam tentar fazer galinhas geneticamente modificadas que ponham ovos e lhes imprimam a data limite de validade!
Ou então vacas que para além de darem leite defecam também um pacote, já com a data de validade impressa e que faça um mugido sempre que alguém tente beber leite fora do prazo!!

Espero chegar a conclusões mais definitivas dentro em breve.


(yeah, right..)

quarta-feira, julho 06, 2005

Felicidade( 1 .. secalhar de muitos..)

Neste instante em que me encontro nitidamente alterado acabo de descobrir o segredo primo da felicidade:


O que é indispensável para ser feliz é a capacidade de conseguir dar uma pedrada no charco da rotina sempre que ela se torna maçadora.


(Ao menos neste, que é polémico, comentem!)

sexta-feira, julho 01, 2005

Memórias sem nexo (I)

Eu, quando era garoto, tratava um tio meu por "tio zé-careca". Só pra facilitar..